Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

O meu 1º parto

No dia 23 de Setembro fazia 41 semanas e 5 dias (já estava desesperada) e a minha GO queria que eu fizesse a indução. Assim foi entrei hás 8h30m no H.S.B. e a minha medica não estava lá, fui atendida por outro médico que não queria que eu lá ficasse porque o hospital estava cheio. Pois bem eu lancei-lhe um grito" NÃO VO SAIR DAQUI HOJE" e não saí, lá me mandou perparar (clisteres, batas lindas todas abertas e chinelos de papel). Vo para a minha caminha na sala de perparação onde estão mais 2 futuras mamas, a indução é feita e as dores começam logo mas nada de especial. Entra uma enfermeira que pergunta se  querem epidural, pois é... aqui a chica esperta diz que não (devia estar a pensar que era a super mulher), fui a única que não quiz... 2horas depois estava a agonizar, via a cara de pavor do meu marido e só me apetecia lhe bater, a minha sogra dizia pra respirar como os cães ( nem como os cães, nem como as pessoas eu só me apetecia era partir alguma coisa).... Começei a ver as mamas a entrar e a sair e eu nada, a dilatação foi só até aos 4 dedos... Era 17h quando me disseram que iriam arrebentar as águas, vi um objecto enorme nas maus do médico e ele diz-me "não a vou magoar isto não vai doer" então não é que ele erra e acerta-me mesmo em cheio na "menina" e ele diz "ops" aiaiaiai..... Depois disto as dores já estavam insurputáveis, horriveis, e nada de fazer a dilatação, a minha medica só chega hás 22h20 e é quando dá a ordem para a cesariana, foi a melhor coisa que ouvi naquele dia. Perpararam me, levei a epidural (ironico) e vi nascer hás 23h43 o meu Jõao...
Espero que este seja diferente.....................

Porque chora tanto?

Pois é minha gente sou mãe de 2º viagem e acho k estou mais preparada para este bébé do que estava para o meu Joãozinho. Uma das questões maiores é o choro do recem nascido, tadinhos não têm outra forma de de se espressar. Quando o meu João nasceu, houve muita gente (mas muita) que cada vez que ele chorava começavam a opininar (como sempre, este mundo ta cheio de chicos espertos), tem fome(hás vezes tinha acabado de mamar), tem sede ( bébé que mama não necessita de água), ta "amarelinho" se calhar ta doentinho, a mama não deve chegar (e a minha ira a subir!) e por fim, a mais usada, os gases...
Os primeiros dias são complicados, mas nós mães começamos a perceber que os choros têm sons diferentes ( e nada de me chamarem maluca porque isto é verdade). Pode ter fome, estar sujo, com cólicas, sono e até pode só querer atenção. estejam atentas e tudo irá correr bem... Há e tentem, tentem não ligar aos chicos espertos, porque a unica pessoa que sabe cuidar dos nossos filhos somos nós e mais ninguem.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Nois!!!!


Será que se ultrapassa um aborto?

Deixo-vos a minha experiência:
No dia 19 de Janeiro 2010  tudo desabou na minha vida, a vinda de um segundo bébé foi adiada, sem que me fosse dado qualquer aviso.
Estavamos contentes, já tinhamos contado a toda a familia, estava com apenas 5 semanas de gravidez e naquela segunda-feira de manha comecei a perder sangue... A primeira coisa que fiz foi ligar parfa a saude 24, fui muito bem atendida e logo encaminhada para o hospital, chegada lá e após 1 eco o médico mando-me para casa e fazer repouso, e assim o fiz. Hás 14h senti algo a sair de dentro de mim, a caminha do wc algo me disse que já tinha perdido o meu adorado bébé... e era mesmo. Fomos de novo para o hospital e o pior foi me dito já não tinha nada em mim...
Perder um filho (mesmo ainda não o conhecendo) não é a lei da vida, chorei,chorei e ainda choro e sempre vou chorar. Tenho a certeza (e que ninguem se atreva a dizer o contrario) era a minha menina.
Agora estou gravida de 31 semanas e apesar de tudo estar bem, o meu coração está sempre preocupado.
Vem outro menino para me embelezar a vida, o Filipe.
Será que se ultrpassa um aborto? Na minha opinião, NÂO, numca......

Os mitos existentes na gravidez

Existem vários mitos que iram assombrar uma grávida, todos eles criados pelo povo e que por mais que nós, grávidas, os achemos estúpidos e sem pés nem cabeça, vamos para casa a pensar neles e a remoer se são ou não verídicos.
Aqui ficam alguns que vivi pessoalmente e outros que me foram contados por outros grávidas e mães.
O mito dos 3 meses (shiiiuu nada de contar a ninguém). Pois este mito tem uma lógica, mas só lógica, pois os primeiros 3 meses são os mais complicados, pois existe um grande risco de aborto e isso pode provocar uma tristeza maior, pois já contamos a meio mundo que mais um bebe vai nascer. Não dá azar contar antes dos 3 meses, contem quando quiserem e tiverem preparadas. Eu sofri um aborto hás 5 semanas de gravidez, no dia 19 de Janeiro de 2010 e contei a toda a família dois dias antes… Sinceramente não quis, nem quero saber do sofrimento deles (sei que sofreram), o meu sofrimento é o maior de todos e é o que me magoa e fere todos os dias, e se for pensar que foi azar de eu ter contado antes do tempo, iria estar a culpar-me ainda mais.
O mito das primeiros ecografias (este dá-me tanta raiva). Este mito diz o seguinte, conversa com pessoas incultas, burras, que gostam de mandar bitaites para o ar:
- Grande barriga!!! (Lindo começa bem ainda agora vou nas 12 semanas)
-Ah! Sim tá grande….
-Então já sabes o que é?
- (claro que sei é um bebe daaaaaaaaaaa) Não, ainda é cedo mas já deu para ver o formato da carinha e as perninhas… (nem deixa acabar)
- Oh então é menino, é pena se não ficavas com um casal (neste caso onde se tem já uma criança).
Pois é esta gente diz que quando na primeiro eco se vê o bebe já “completo” é um menino… Ok, porquê? Ninguém sabe responder! Então e se ficassem calados?!
Também aconteceu comigo, já tenho um filhote com 21 meses e estou grávida (sei que é um bebe mas o sexo não), ora como o bebe estava bem visível (graças a Deus) enchem-me os ouvidos que é um menino, pois se calhar acertam ou se calhar não, porque há 50% de hipóteses de ser menino e 50% de ser menina.
O mito da forma da barriga (já não basta estarmos gordas ainda nos olham de cima para o meio para ver o formato da barriga). Este é assim, se a barriga for bicuda é menino (também já ouvi que é menina), se a barriga for redonda é menina (ou o oposto). Ora o nosso corpo ta a esticar e para além do bebe estão lá órgãos, a forma da barriga é conforme está o bebe!
Também já sofri este mito e erram (que pena uhuh, santa paciência!).
O mito das manchas na pele e do formato das ancas (já não nos basta estar com as hormonas alteradas e ainda falam de mais imperfeições). Então é assim há quem diga (e mais valia estar calado) que quando uma grávida fica com manchas na pele, com as ancas largas e feia (sim meninas feia…lindo!) vai ter uma menina (dizem que as meninas tiram a beleza hás mães… então e aquelas que já são feias?) se tivermos uma pele excelente e “corpinho Danone” vamos ter um menino.
To a passar por este mito, “tas tão larga e gorda” (isto é muito bom para a auto-estima), “tas a ver como ela tá toda manchada” (passei dias o olhar para o espelho e não vi nada). Pela “lógica” destas pessoas é menina (santa paciência).
O mito das camisas, tops, etc. estampadas na barriga. Minhas amigas grávidas, estes excelentes “médicos obstétricos” dizem que não se deve usar estampas, pois o bebezito vai nascer com a estampa marcada na cara (esta é demais). Opa, já é complicado encontrar roupa para grávida e ainda por cima tem que ser lisas?! (eu gabo estas cabecinhas que pensam nestas coisas).
Este foi o melhor mito pelo qual passei, estava eu a passear a minha grande “biba” (barriga) quando corre, sim corre, uma velhota (idosa) direito a mim a dizer para tirar aquela blusa que o meu filho ia nascer com aquilo na cara, ora eu grávida pela primeira vez a ouvir aquele parvoíce, fiquei parva (mas foi por pouco tempo) disse lhe que quando chegasse a casa logo tirava e não usava mais (sim ta bem era das únicas que me servia). Ri como nunca nesse dia.
O mito do entra e saí e do abaixa e levanta (este é difícil de perceber). Passo a explicar: há génios/as que conseguem saber o sexo do bebe pela maneiro como entramos e saímos por uma porta e pela maneira como nos abaixamos para apanhar alguma coisa. Se entrarem com o pé esquerdo é menino se for com o direito é menina, se apanhares alguma coisa do chão e espetares o rabiosque é menino se reflectirem os joelhos é menina.
Vocês já adivinharam, sim também passei por este. Houve pessoas na família que mandaram as chaves para o chão para eu apanhar (sou mesmo burra) e disseram que era menina (pois e tá cá o meu pichas), nesta gravidez entrei e saí de um café (mas eu não aprendo mesmo) e disseram k era um menino (pois ainda não sei).
O mito da corda, este consiste em a grávida quando vir uma corda no chão não deve passar por cima pois o bebe irá nascer com o cordão enrolado ao pescoço. Mas quem é que passa por cima de uma corda (como se fosse uma coisa que vemos muito no chão). E também as grávidas não devem usar colares, pois vai acontecer o mesmo (oh meu Deus não devemos usar blusas estampadas e colares também não, é melhor não sair de casa). Este mito é mentira!
O mito das dores de parto. Se a mãe não tiver dores de parto e nem fazer força para o bebe nascer, este quando tiver cá fora (neste mundo de parvoíces) vai ter as dores todas que a mãe não teve.
E mais uma vez eu vivi este mito, cada vez que o meu bebe chorava diziam que era as dores que eu não tinha tido (não podia ser fome, calor, frio, fralda suja, …), EU NÃO TIVE DORES?! Como é que me podiam dizer aquilo tive 12 horas de trabalho de parto (dores horrorosas) e finalmente a cesariana, não tive dores? Gente parva que não sabe o que diz!
O mito da azia. As grávidas têm muita azia, ora se forem a algum lado e disserem que estão com azia vão logo dizer “esse bebe vai ser cabeludo e com grandes unhas” ( oh pá vou ter um monstro).
Por acaso na primeira gravidez tive muita azia mas só nos últimos meses e o meu joãozinho veio ao mundo com muito cabelo mas as unhas eram normais. Nesta gravidez tenho azia desde o 4 mês por cima deve nascer um macaco com garras de tigre.
O mito de que não se deve fazer “o amor” durante a gravidez. Porquê? (esta é boa) Pois bem dizem que pode acertar no bebe (e este a agarrar e puxar com força), é totalmente mentira. As mulheres grávidas costumam ter um desejo maior e somos aconselhadas pelos médicos a fazer “o amor” para a ajudar na dilatação (salvo excepções).
O mito dos desejos. Este é bom por que satisfazem-nos os desejos. Neste mito é dito que se o desejo não for realizado (estamos a falar em comer) o bebé nasce com cara daquilo que a mãe não comeu. Ora por exemplo: a mim apetece me muito mas muito Mcdonalds, e muitas vezes, existem 3 problemas: 1º engordar que nem uma porca; 2º o dinheiro gasto e 3º o miúda/miúda nascer com cara de Mcbacon (?). Isto, é claro também não é verdade. Cuidado meninas há grávidas que têm desejos um pouco estranhos, como comer carvão ou então sabão, estes desejos são sinais de falta de ferro (mas o bebe não nasce com cara de nada).
O mito da agulha e linha (outra vez para saber para saber o sexo do bebe). Ora então pendura-se uma agulha numa linha e coloca-se sob a barriga e se fizer círculos é menina e se andar para trás e para a frente é menino. Continuo a dizer, até podem acertar pois a probabilidade é 50 para um 50 para outro.
O mito de beber muito leite. Este diz assim, se uma grávida beber muito leite durante a gravidez irá produzir mais leite. Ora se o nosso organismo já produz naturalmente o leite para quando o bebé nasce, vamos “emborcar” mais ainda, então vamos ser umas vacas leiteiras (peço desculpa a quem ficar ofendido mas é a conclusão que tiro deste mito).
O mito da cesariana. A mulher que no primeiro parto faz uma cesariana se engravidar outra vez automaticamente faz outra. É mentira, pois há muitos, mas muitos casos em que isso não acontece.
No meu caso fiz cesariana no primeiro e provavelmente vou fazer do segunda pois tenho um deslocamento da placenta e nestes casos custuma-se marcar o parto para antes do tempo e de cesariana.
O mito da “risca na barriga” (esta também é boa). Se o “risco” da barriga da grávida (se tiver, há quem não tenha, eu por exemplo) que for muito escuro é sinal que o bebé vai ser muito moreno (atenção pode dar problemas com o marido ou namorado, hihiihi).
O mito dos gatos. Se a grávida não for imune há toxoplasmose tem que ter cuidado com várias coisas uma delas são os gatos, mas não é estar com gatos, é se mexer nos cocos com as mãos (não sei quem faz isso) ou se eles não tiverem bem cuidados (os de casa estão quase sempre). Aqui há uma parte de verdade, não têm que se livrar dos animais se já os têm, têm é de redobrar os cuidados quando fizerem as suas limpezas e evitar mexer nos gatos vadios (se forem como eu não conseguem resistir).
O mito da tabela chinesa. Corre por toda a internet uma tabela que “adivinha o sexo do bebé conforme a idade da mãe e o mês em que deu a “cambalhota mágica”. Mais uma vez eu (eu gosto de experimentar estas coisas) encontrei uma tabela destas e fui fazer, deu menino, como sou teimosa fui procurar outra e fiz novamente e deu menina (é o que dá eu estar em casa de baixa), que giro 2 tabelas iguais e o resultado diferente, por acaso tinha lá muitos comentários a dizer que aquilo tinha acertado e não sei o quê e não sei que mais…Pois é mais uma vez há 50% de hipóteses que seja menino e 50% que seja menina (não se iludam).
O mito do cão (pensavam que era só os gatos). As grávidas não devem deixar os cães meter as patas deles na barriga…Porquê? Oh minhas lindas, os bebés podem nascer com pêlo de cão. Há pois é! Devia ser bonito!
O mito dos morangos. Não se deve comer morangos porque… (acreditem não é por fazer mal), porque os bebés iram nascer cheios de pintas (nem vou comentar não vale a pena).
O mito do berço. Se fizerem a cama do bebé antes de ele nascer dá azar. Na minha opinião é deixar mais uma coisa para fazer quando chegamos do hospital cansadas, doridas e cheias de visitas dentro da nossa casa.
O mito do lixo. Quando forem deitar os resto do vosso comer no lixo (nos contentores da rua), devem pô-lo no fundo do contentor, pois se os cães comerem os resto do vosso jantar o leite da mama desaparece (acham que merece comentários? Eu acho que não).
O mito do morto. Este inclui dois mitos, o primeiro: a grávida não deve de ir a funerais pois fica sem leite (?); o segundo: a grávida no funeral não deve olhar para a cara do morto pois…. (preparem-se…) o bebé fica com a cara do morto (demais esta acho que bate todos os outros mitos).
O mito do eclipse. A grávida não deve olhar para o eclipse (é uma coisa que acontece muito) pois o bebé poderá nascer com defeitos físicos e preto como a noite. Mas porquê? Ninguém sabe (para variar).
O mito da espinha do peixe. A grávida não deve pisar a espinha do peixe pois no parto a placenta vai custar muito a sair (por amor de Deus como se passássemos o dia a pisar as coisas que vemos no chão).
O mito do dia e da noite. Passo a explicar, se o bebé nascer de dia cedo vai ficar perdida (foi assim que li) se nascer de noite vai ter vergonha. Para nós mães o que interessa é que saiam logo e depressa pois custa horrores (pelo menos a mim custou, há outras que têm o dom de parir feito gatas).
O mito das pessoas feias (este também é muito bom). Pois é, as grávidas não devem olhar para pessoas feias pois o bebé assim também vai ser feio (acho que aqui depende do pai e da mãe, mas pronto é a minha opinião).